O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

31 janeiro 2010

Sobre rastilhos xenófobos (4)

Mais um pouco da série.
Que meio social é descrito pelo jornalista? O seguinte: um local, o Xiquelene, periferia da cidade de Maputo, ocupado por cerca de 150 vendedores informais moçambicanos que, todos os dias, têm de fazer face à vida em todas as suas dificuldades, aí compreendidos os colectores de impostos e os polícias. Em meio à labuta diária, surgiram os polícias para os desalojar por forma a que fosse instalado um contentor-loja pertencente a um cidadão nigeriano, destinado ao comércio de produtos alimentares.
Imediatamente, a polícia foi encarada como estando ao serviço do (s) estrangeiro (s). Então os vendedores atacaram os polícias? Não. Narra o jornalista Sérgio Macuácua: "E como forma de retaliação, os vendedores moçambicanos assaltaram as cantinas dos estrangeiros que abundam nas áreas circundantes daquela praça."
Enquanto não prossigo, sugiro a leitura das minhas séries com os títulos O papão "nigeriano" que deixa vermes nas mulheres em Maputo, Eles e nós: representações sociais num bairro de Maputo e Notas sobre xenofobia, respectivamente aqui, aqui e aqui.
Nota: clique com o lado esquerdo do rato sobre a imagem para a ampliar.
(continua)

1 Comments:

Blogger BMatsombe said...

Ai se isso fosse nos nossos musseques, o que não fariam as quitandeiras!

31/1/10 10:21 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home